Minha história de amor com o tarô!


Um dia, aos 14 anos, puxei minha mãe propositadamente e contra a vontade dela para a porta de uma loja onde eu sabia que era vendido um jogo de tarô pelo qual eu já era apaixonada.

Ele estava lá me esperando. E, como uma criança que vê um doce, consegui convencer minha mãe a me dar e assim ganhei o tão sonhado objeto do desejo. Claro que ainda sem nenhum treinamento, comecei a devorar o livrinho que vinha com aquele tão amado presente.

Desde aquele dia, nunca mais consegui ficar longe do meu tarô e de sua simbologia e passei a estudar outros tipos de oráculos, como os Arcanos Maiores e Menores do Tarô de Marselha, envolvendo estudos da mitologia grega e da filosofia.

Hoje, completados meus 42 anos, sinto-me a cada dia mais apaixonada e conectada com o poder de aconselhamento que encontramos nessa ferramenta de autoconhecimento e conexão com o nosso Eu Superior, em que temos a oportunidade de compreender nossas possibilidades e dificuldades.

Aconselhamentos com o tarô nos proporcionam o acalanto necessário em muitos momentos de crises sentimentais ou até em decisões profissionais.

Devemos ter em mente