Criar crenças positivas para nossas crianças


O dia das crianças está aí e é comemorado sempre com muita alegria porque criança é sinônimo de espontaneidade e energia. Valorizamos cada etapa do aprendizado infantil e ficamos maravilhados com pequenas conquistas que nos fazem lembrar do quão perfeita é a obra do Criador de Tudo o Que É, a vida e o desenvolvimento do ser humano.

No entanto, será que valorizamos de fato essas etapas? Será que temos a verdadeira noção de que cada ato, palavra e atitude nossa tem extremo valor para esse desenvolvimento com o qual tanto nos encantamos? Se tivéssemos essa noção, muitos efeitos tardios poderiam ser evitados.

Nossas palavras, nossas atitudes e até mesmo aquilo que falamos durante a gestação de uma criança poderá trazer sérias implicações para elas.

Durante a concepção, gestação e infância a criança absorve tudo o que é dito, vivido e sentido pela mãe a ao redor dela. Cada alma tem, entretanto, sua própria maneira de absorver essas informações. Temos o livre arbítrio para escolher como processaremos essas informações.

Ocorre, entretanto, que na maioria das vezes e, especialmente as informações negativas são percebidas e registradas pelo feto/criança trazendo questões que podem acompanhá-la ao longo da vida até que se deparem com a necessidade de olhar para dentro de si e trabalhar o autoconhecimento.

Um exemplo disso foi dado por Vianna Stibal, em seu livro ThetaHealing DNA Básico, sobre as maneiras diversas como as crianças podem introjetar essas informações. Segundo Vianna, a mensagem: “você nunca será nada na vida”, dada a várias crianças poderão causar reações como:

A primeira ouve e assimila isso literalmente e nada fará de sua vidaA segunda, num processo de negação desse programa, poderá ser um empreendedor maravilhoso, mas estará sempre insatisfeito com seus resultados. A terceira, aceita o programa como “real”, mas é influenciado por alguém que consegue incutir-lhe que é uma pessoa de valor. No entanto, essa criança poderá crescer acreditando que ambos os programas estão corretos: não serei nada, mas sou valorosa.A quarta, rejeita o programa, segue o caminho para o sucesso, seguindo seu livre-arbítrio.

Assim como estas afirmações negativas feitas sem o conhecimento do impacto que podem ter nas crianças, também podemos começar a compreender que oferecer afirmações positivas podem criar uma nova possibilidade, um desenvolvimento mais saudável.

Podemos desde o ventre projetar afirmações positivas como: você tem valor, sua vida vale muito, você será feliz, são pequenos exemplos de como trazer crenças saudáveis para a vida.

O trabalho de crenças promovido pelo ThetaHealing identifica, localiza e remove essas crenças, trazendo a consciência e a possibilidade de se absorver novas e positivas informações. Reconhecer, observar e testemunhar que é possível construir algo melhor hoje para não precisarmos amanhã curar crianças interiores feridas.

Texto escrito por Silvia Jara, terapeuta associada ao Ponto de Luz Terapias Sistêmicas.

3 visualizações0 comentário